• Carol Neris

4 passos práticos para ser um ouvinte melhor


Você é já uma pessoa diferenciada por estar lendo texto. Não é todo mundo que se importa em ser um ouvinte melhor. E vai conseguir se destacar ainda mais se seguir os quatro passos apresentados. Ter uma escuta apurada é um das habilidades mais importantes no mercado de trabalho, pois além de permitir que você crie conexões profundas com as pessoas, também te proporciona mais assertividade na comunicação. Pronto para ser um ouvinte de alto nível?



Preste atenção em você

Isso mesmo que você leu. A gente só consegue ouvir melhor o outro quando se escuta. A auto-observação é primeiro passo e o mais importante. Observe como suas ações, sentimentos e pensamentos estão conectados. Aprenda a se perguntar: por que eu estou triste? Por que aquele telefonema me irritou? Por que fui grosso(a)? O que eu senti? Como eu reagi?

À medida que você aprender a se observar e identificar os sentimentos e reações em você vai ser mais fácil fazer a leitura do outro. Você vai entender que por trás de cada fala, ação e reação há um sentimento e uma necessidade que precisa ser atendida.

Mas, atenção! Praticar a auto-observação não significa passar o dia inteiro pensando apenas no próprio umbigo. Ok? Escolha momentos ou situações específicas a cada dia para fazer a sua autoanalise.

Desenvolva uma curiosidade genuína pelo outro

Imagine a seguinte situação: seu amigo acabou de ser assaltado, qual a primeira pergunta que você faz? Se sua curiosidade for pelo outro, sua primeira pergunta será sobre o estado do seu amigo e o que você pode fazer por ele. Entendeu?

Curiosidade é aquela vontade quase irresistível de querer saber mais. Dê atenção aos detalhes que a pessoa te conta. Faça perguntas sobre o que ela acabou te falar. Não interrompa. Seja generoso nas suas perguntas. Faça com que o outro se sinta no centro da conversa e à vontade para compartilhar sentimentos e histórias com você.


Esteja presente

Treine sua mente para não viajar enquanto a pessoa fala. Concentre-se. Lembre-se que o seu objetivo é ouvir a pessoa. Suspenda seus julgamentos ou opiniões. Por mais que você se esforce sua mente vai divagar, é normal. Seu trabalho é coloca-la de volta aos trilhos. Você vai lembrar de histórias parecidas, vai pensar em conselhos e opiniões, mas esse não é o momento. Afaste esses pensamentos e volte a se concentrar na pessoa que está em frente a você e no que ela está compartilhando.


Não se feche quando ouvir uma opinião diferente

Muitas pessoas tomam como uma ofensa um ponto de vista diferente ou uma crítica. Não caia nesse erro. Quando alguém traz uma opinião diferente para a conversa ou reunião ela está te dando um presente. Não rejeite. Abra esse presente e use com sabedoria.

Um ponto de vista diz muito sobre alguém: suas crenças, convicções, ideais, sentimentos e confiança. Ao invés de criar um muro e encerrar a conversa (às vezes continuamos presentes, porém nossa mente já fechou para ouvir qualquer argumento) dê a outro a liberdade de compartilhar com você.

Há algumas perguntas interessantes que podemos fazer diante de um novo ponto de vista, por exemplo: Que interessante, nunca tinha pensando por ângulo... Como você chegou a essa conclusão? Por que você acha/ compreende esse tema assim? Você sempre pensou assim? O que você acha que poderia ser feito? O que poderia mudar?

Lembre-se que você está desenvolvendo um interesse genuíno pelo outro, mantendo sua mente presente na conversa e treinando para ler os sentimentos que estão presentes naquela fala.

Um bom ouvinte é aquele que não está preocupado em estar certo, dar os melhores conselhos ou terminar rápido o assunto. É antes, uma pessoa determinada a acolher e entender o outro.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo