• Carol Neris

#TBT e o poder das memórias


Hoje é dia de #TBT! A cada quinta a gente lembra de alguns fatos, procura fotos antigas de ontem ou de anos. Elegemos algo que vale a pena refrescar na memória. É um exercício ótimo, visitamos lugares de doçura, de alegria, de saudade.


Sempre gostei de escrever e durante alguns anos conservei o hábito de um diário. Por um tempo fiz o diário digital, mas perdi tantas anotações que decidi voltar ao modo tradicional: caneta e papel.


Por um tempo esse hábito ficou esquecido até que assisti novamente “para sempre Alice”. Já havia lido livro e como fiquei aflita ao pensar que um dia posso esquecer quem eu sou, fui, o que construí e de pronto retomei meus diários. Ainda falho, ainda falto, não escrevo religiosamente todos os dias, mas escrevo. Com certeza escrevo.


Escrevo para no futuro pode me encontrar comigo.

Se eu me perder, se as minhas memórias se forem, ainda que por alguns momentos vou poder me encontrar comigo no futuro e lembrar quem fui, o que senti, o que pensei, quem amei, o que e quem apreciei. Vou me abraçar nas minhas palavras e descobrir essa amizade comigo, tão bonita e antiga.


E o engraçado é que no futuro presente que é o hoje várias vezes tenho essa sensação de reencontro. Quando paro e leio o que escrevi, me reencontro com carinho e quantas vezes digo “nossa, que lindo! Eu pensava assim”, “fui que escrevi”, “que orgulho de mim”, “Como melhorei! Obrigada, senhor!”


Que tal hoje, além de procurar-postar um foto, sentar e escrever sobre essa memória. O que você mais amou nesse dia, o que sentiu, o que te fez vibrar, por que é especial? É uma memória que gostaria de guardar? Se você fosse recontar esse episódio pra você daqui há alguns anos, quais detalhes gostaria de contar?


Crie um arquivo físico

Não somos eternos e nossas lembranças também não. Acredite, daqui a uma semana você não se lembrança com tantos detalhes e clareza do que aconteceu hoje ou ontem. Que dirá daqui alguns anos. As sensações vão permanecer adormecidas em você até que algo as desperte. Esse algo pode ser o seu arquivo físico de memórias. Pra esse arquivos vale tudo: diários de papel ou digitais, vídeos, álbuns com fotos e descrições, áudios. O importante é manter as emoções e sensações vivas e preservadas fisicamente de um modo que possam ser acessadas.


treine o hábito de escrever suas memórias

Se tem dificuldade com a escrita pode fazer em formato de lista. Liste as emoções, as coisas mais legais do dia ou momento, as pessoas. Se já tem um pouco mais de familiaridade com as palavras construa pequenos parágrafos descrevendo a sua experiência.

Treinar é fazer mais de um vez! Se você escrever uma vez por semana, em uma ano terá uma pequena coleção de 52 memórias!


Faça associações

Tente lembras dos cheiros, dos sabores, dos sons. Guarde elementos físicos que te ajudem a lembrar e tragam mais significado. Essas referências ajudam a manter as sensações vivas dentro da gente.


Escrever as nossas memórias é ter compromisso com a nossa própria história!
6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo