• Carol Neris

Todo dia a mesma noite - a história não contada da boate Kiss


Lido em algumas horas, porque uma vez iniciada a leitura é impossível parar. A força da narrativa da Daniela fundamentada em uma apuração brilhante coloca o leitor dentro da história. Me colocou dentro da boate diante da cena desolarodora da sinfonia de celulares tocando e corpos empilhados... ao lado dos profissionais que prestaram socorro... junto dos pais quando receberam a notícia, reconheceram e enterraram seus filhos.


Chorei. Mais de uma vez...

Ao final da leitura, li o nome de todas as vítimas com a certeza de que eram mais que números da tragédia. Eram pessoas (com sonhos, desejos, expectativas) e que atrelado a esses nomes existem famílias ainda hoje dilaceradas a espera de justiça. "Um inventário de afetos" como bem disse Marcelo Canellas no prefácio. Não é um livro apenas... É um memorial.


É uma pérola do jornalismo.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo